Depois de algum tempo trabalhando com condomínios me intrigava o fato de alguns síndicos permanecerem na função por anos (às vezes até sem remuneração), mesmo com tantos problemas e dissabores que acompanha o cargo. Me parecia um cargo um tanto quanto ingrato, pois vi de perto que grande parte do trabalho duro e relevante caia no esquecimento dos condôminos mas, qualquer coisa que não desse certo, por menor que fosse, era visto, revisto, debatido, ampliado e criticado! Raras foram as vezes que vi um síndico ser parabenizado, mesmo testemunhando grandes realizações por parte de quase todos.

Mas, a oportunidade que a empresa me deu de atuar como síndica profissional em alguns prédios me possibilitou entender porque ser síndico pode “viciar”.

Satisfação pessoal pelo que se realiza

Quando colocamos nossa energia em algo, não nos abatemos pelos problemas, nós os superamos e os usamos como degrau para chegar onde queremos.

Somente a determinação nos leva a fazer coisas grandiosas: executar uma grande obra sob pressão, administrar altas quantias de dinheiro de maneira eficiente, tomar decisões que impactam a vida de outras pessoas, e muito mais.

Tudo o que é realizado no condomínio está sob avaliação, recebendo opiniões, ás vezes duras.

São desafios que a maioria das pessoas abandonaria o cargo, mas algumas simplesmente continuam.

E o resultado final, compensa tudo. Quando olhamos para trás e vemos todo o caminho trilhado e o que fomos capaz de realizar, essa sensação que só os vencedores conhecem, isso nos faz querer realizar mais.

Conheço síndicos que nunca atuaram em administração, algumas mulheres que sempre foram donas de casa, pessoas que de repente se viram administrando altas receitas, tocando obras, comandando funcionários, com talento nato, melhor do que muitos administradores profissionais.

presenciando tantas histórias interessantes, tantas pessoas determinadas e entusiastas, tenho apenas que admirar aqueles que se arriscam a assumir o cargo de síndico. Não só aqueles que já estão há anos, mas também aqueles que estão começando, encarando pela primeira vez o desafio. Todos os síndicos merecem nosso respeito, pois só atuando conseguimos saber o quão difícil é “comandar o navio”.

 

Texto de Cristina Oliveira
Consultora Comercial da Krieger Ass. Condominial